Gulbenkian Música
PesquisarOpções de Pesquisa
English
Biografias
Barbara Hannigan
Soprano

A canadiana Barbara Hannigan estudou na Universidade de Toronto, onde concluiu o Mestrado em Música. Durante a sua formação, desenvolveu um interesse particular pela música contemporânea, tendo, segundo as suas palavras, aprendido com os compositores com quem trabalhou. Estudou também durante um ano no Conservatório Real de Haia e depois, em particular, com Neil Semer.

Barbara Hannigan entrega-se à interpretação de forma total, tirando partido de um excecional domínio técnico e poder de expressão. Uma ousada escolha de repertório permitiu-lhe também alcançar um patamar de completo controlo e versatilidade, tendo apresentado mais de 75 estreias mundiais, ao mesmo tempo que se afirmou também como intérprete de música barroca e clássica. É uma convidada frequente da Filarmónica de Berlim, tendo-se também apresentado com muitas das principais orquestras mundiais, sob a direção de maestros como Sir Simon Rattle, Pierre Boulez, Reinbert de Leeuw, Esa-Pekka Salonen, Kurt Masur, Jukka-Pekka Saraste, Pablo Heras-Casado e Susanna Mälkki. Estreou-se como maestrina no Théâtre du Châtelet, em Paris, onde dirigiu a ópera-ballet Renard, de Stravinsky.

As suas interpretações da música de Ligeti têm constituído uma imagem de marca do seu desempenho, com destaque para Mysteries of the Macabre, um verdadeiro desafio para soprano e orquestra. Cantou – e por vezes dirigiu – esta obra, sempre com grande sucesso, no Lincoln Center de Nova Iorque, na Philharmonie de Berlim, no Théâtre du Châtelet, no Festival de Salzburgo, no Concertgebouw de Amesterdão e no Konzerthaus de Viena, tendo-a também interpretando na sua estreia na Fundação Calouste Gulbenkian na temporada 2011-12.

O seu variado repertório de ópera estende-se de Rinaldo (Armida) e Ariodante (Dalinda), de Händel, a Le Grand Macabre (Gepopo e Venus) de Ligeti, incluindo a criação de personagens de obras de Pascal Dusapin (Lei, em Passion), Louis Andriessen (Saskia, em Writing to Vermeer), Gerald Barry (Gabrielle, em The Bitter Tears of Petra von Kant) e Toshio Hosokawa (o papel principal em Matsukaze). Em 2012 cantou a sua primeira Lulu, no Théâtre de la Monnaie, bem como Written on Skin (Agnes), de George Benjamin, no Festival de Aix-en-Provence.


17 Janeiro 2013


Partilhar no Facebook Imprimir Pesquisar Barbara Hannigan
Fundação Calouste GulbenkianPartilhar no FacebookSiga-nos no Twitter