Gulbenkian Música
PesquisarOpções de Pesquisa
English
Biografias
Diogo Oliveira
JPEG 451×600 pixels
24-bit / 48,775 bytes
Diogo Oliveira
Barítono

Nasceu em Lisboa e é licenciado em Engenharia da Linguagem e do Conhecimento pelas Faculdades de Ciências e de Letras da Universidade de Lisboa External Link. Frequentou o Curso de Canto da Escola de Música do Conservatório Nacional External Link, na classe de José Carlos Xavier.

Actuou no Salão Nobre do Teatro Nacional de São Carlos External Link, no Museu da Música, no Palácio Foz, na Culturgest, no Centro Cultural de Belém External Link e no Zénith de l'Agglo de Rouen, entre outras salas. Participou em cursos de aperfeiçoamento de canto e de interpretação com Sarah Walker, Rudolph Knoll e Low Siew-Tuan (2003-2005). Em recital, apresentou com Nuno Vieira de Almeida, no Teatro São Luís, os ciclos Schwanengesang de Schubert e Sea Pictures de Elgar. Desempenhou o papel de Fantasma na produção alemã da opereta O Fantasma da Ópera em digressão pela Alemanha, com a qual actuou em mais de 120 salas de espectáculo e recintos ao ar livre, destacando-se a Philharmonie de Munique. Em 2005 foi 1º Prémio no Concurso Nacional de Canto Luísa Todi.

Estreou-se no papel de Marullo (Rigoletto), sob a direcção de Manuel Ivo Cruz. Interpretou Papageno, em A Flauta Mágica, com encenação de Jorge Listopad, no Teatro da Trindade e no Centro Cultural de Cascais, Conde de Fricandó, em As Damas Trocadas de Marcos Portugal, sob a direcção de Armando Vidal, em Setúbal, Masetto, em Don Giovanni e Fígaro, em As Bodas de Fígaro, sob a direcção de José Ferreira Lobo. No Teatro Micaelense, em São Miguel, nos Açores, estreou em 2007 o papel de Belcore, em L'elisir d'amore, e no Coliseu da mesma cidade o papel de Papageno.

No Teatro Nacional de São Carlos External Link interpretou Montano, em Otello, sob a direcção de Antonio Pirolli, Fiorello, em O Barbeiro de Sevilha, sob a direcção de Jonathan Webb, Lacaio, Oitavo Polícia, Primeiro Criado, Sexto Camarada e Sexto Estudante, em O Nariz de Chostakovitch, sob a direcção de Donato Renzetti e João Paulo Santos. No Verão de 2007, nos Açores, cantou de novo o papel de Belcore no Teatro Micaelense (produção do Teatro Nacional de São Carlos External Link com direcção de Cesário Costa) e o papel de Papageno no Teatro Coliseu de São Miguel.

Participou nas encenações de Rigoletto (Conde Ceprano), sob a direcção de Alexander Polianitchko, e de Les contes d’Hoffmann de Offenbach, no Teatro Nacional de São Carlos External Link.


10 Outubro 2009


Partilhar no Facebook Imprimir Pesquisar Diogo Oliveira
Fundação Calouste GulbenkianPartilhar no FacebookSiga-nos no Twitter