Gulbenkian Música
PesquisarOpções de Pesquisa
English
Biografias
Michel Corboz
JPEG 800×532 pixels
24-bit / 119,704 bytes
Michel Corboz
JPEG 481×600 pixels
24-bit / 23,980 bytes
Michel Corboz
Maestro

A entrada de Michel Corboz no universo da música está profundamente ligada ao seu fascínio pela voz e pelas obras escritas no domínio da música vocal. Consequentemente, dirige na actualidade, pelo mundo inteiro, as grandes oratórias que incluem coro, solistas e orquestra.

Em 1961, Michel Corboz fundou o Ensemble Vocal de Lausanne. As inúmeras distinções concedidas e o acolhimento entusiasta da imprensa, manifestado em função das suas gravações das Vésperas e do Orfeo de Monteverdi - realizadas, respectivamente, em 1965 e 1966 - marcaram o início de uma carreira que evoluiu naturalmente, sem ambições particulares, enriquecendo-se todos os anos com uma nova obra.

Em 1969, Michel Corboz foi nomeado Maestro Titular do Coro Gulbenkian, cargo que vem exercendo com inexcedível competência há mais de trinta e cinco anos. Dirigindo o Coro Gulbenkian, realizou um grande número de concertos e gravações de obras de carácter coral-sinfónico, tendo assim colocado em destaque as qualidades raras e fundamentais deste coro.

A sua discografia conta com mais de cem títulos gravados até hoje para as etiquetas Erato External Link, Cascavelle e FNAC-Musique, muitas vezes galardoados por várias academias internacionais do disco. De entre as suas mais belas realizações discográficas, salientam-se as grandes obras sacras de Bach e de Mozart, La Selva Morale de Monteverdi, as oratórias de Mendelssohn e os Requiem de Brahms, Fauré, Duruflé e Verdi. Na Ópera de Lyon, recriou Ercole Amante de Cavalli, obra composta para o casamento de Luís XIV, bem como David et Jonathas de Charpentier. No domínio da ópera, dirigiu L’Incoronazione di Poppea, Il ritorno d’Ulisse in patria e ainda Orfeo de Monteverdi. Actualmente, é também professor de direcção coral no Conservatório de Genebra.

Em Dezembro de 1999, Michel Corboz foi condecorado pelo Presidente da República Portuguesa com a Grã Cruz da Ordem do Infante.

Entre os muitos discos que gravou com o Coro e a Orquestra Gulbenkian, destacam-se: o Requiem de Mozart; Messa di Gloria de Puccini (Erato External Link), Salmos, Lauda Sion e Lass’,O Herr de Mendelssohn (2CD Erato External Link - Diapason d’Or); Te Deum, Beatus Vir, Salve Regina e Tenebrae Factae Sunt de Marc-Antoine Charpentier (Erato External Link); Elias de Mendelssohn (Erato External Link); Te Deum de João de Sousa Carvalho (Cascavelle); Requiem de Verdi (Fnac Music - Classique d’Or RTL); Requiem de João Domingos Bomtempo (Aria Music); Missa em Dó Maior, op.86, de Beethoven e Missa N.º 2, em Sol Maior, D.167, de Schubert (Erato External Link); Requiem de Franz von Suppé (Aria Music).


11 Março 2005


Partilhar no Facebook Imprimir Pesquisar Michel Corboz
Fundação Calouste GulbenkianPartilhar no FacebookSiga-nos no Twitter